ReportórioOriginais › Vontade

 

 


De madrugada
Vejo a cidade em mim
É a chegada
É um sonho sem fim!
é uma historia, um poema
Memorias de um dileme
Cantado, ouvido assim: / Cantado é assim

Esta cidade
Em que descubro em mim
Uma vontade
É liberdade sim!
É um amor que se sente
Se esquece de repente
Calado sai de mim

Refrao:

Volta vontade vivida voraz
Volta que o tempo nao volta para tras
Vem vigiar o silencio da voz
Volta que o tempo nao espera por nos

E se nao espera
La vamos nos entao
Quem desespera
Nao sabe ouvir um nao
Porque a vontade
Ela, vem ela volta na revolta
Revoltada de um adeus

É que a vontade
E o amor tambem
Trazem saudade
E o desejo vem!
De ver os dias as noites
Tardias em que os dias
Sao tempo para amar