ReportórioAdaptações › Terça-feira

 

 

Letra: Sérgio Godinho

É terça-feira 
e a feira da ladra 
abre hoje às cinco 
de madrugada

E a rapariga 
desce a escada quatro a quatro 
vai vender mágoas 
ao desbarato 
vai vender 
juras falsas 
amargura 
ilusões 
trapos e cacos e contradições


É terça-feira 
e das cinzas talvez 
amanhã que é quarta-feira 
haja fogo outra vez 
o coração é incapaz de dizer 
"tanto faz" 
parte p´ra guerra 
com os olhos na paz


É terça-feira 
e a feira da ladra 
quase transborda 
de abarrotada


E a rapariga 
vende tudo o que trazia 
troca a tristeza 
pela alegria


E todos querem 
regateiam 
amarguras 
ilusões 
trapos e cacos e contradições


É terça-feira 
e das cinzas talvez 
amanhã que é quarta-feira 
haja fogo outra vez 
o coração 
é incapaz 
de dizer 
"tanto faz" 
parte p´ra guerra 
com os olhos na paz


É terça-feira 
e a feira da ladra 
fica enfim quieta 
e abandonada 
e a rapariga 
deixou no chão um lamento 
que se ergue e gira 
e roda com o vento 
e rodopia 
e navega 
e joga à cabra-cega 
é de nós todos 
e a ninguém se entrega


É terça-feira 
e das cinzas talvez 
amanhã que é quarta-feira 
haja fogo outra vez 
o coração 
é incapaz 
de dizer 
"tanto faz" 
parte p´ra guerra 
com os olhos na paz