ReportórioOriginais › Capas do Tejo

 

 

Lisboa anda trajada
Correndo à beira-rio
Amante rejeitada
Por coração tão frio
Por coração tão frio

Lisboa a capa traça 
Enquanto canta um fado
Que a terna História faça
Do curso inacabado 
Do curso inacabado


Refrão:
E o Tejo que a viu nascer
Chora as mágoas de estudante
Injuriando o tratante
Causador do seu sofrer
Causador do seu sofrer

Lisboa os olhos cerra
E solta uma oração
Liberta o coração
Na paz que o rio encerra
Na paz que o rio encerra

Lisboa só morreu
A capa por mortalha
Ganhando essa batalha
Que o amor não venceu
Que o amor não venceu